Arquivo para cirurgia

Mamoplastia redutora

Posted in dica, mulher with tags , , , , on agosto 2, 2008 by dr.lichtenstein
mamoplastia

Uma das cirurgias plásticas mais procuradas é a mamoplastia redutora, cirurgia para reduzir o volume dos seios, buscando-se sempre o tamanho que fique mais proporcional ao tronco.

As cicatrizes finais dependerão do tamanho das mamas, da relação peso/altura da paciente, se há tecido mamário prolongando-se para as axilas (às vezes continuando-se com depósitos de gordura das costas), pois esses fatores determinarão qual técnica cirúrgica será a mais adequada, além disso dependerá também da paciente não apresentar transtornos de cicatrização (como quelóides) e seguir as orientações de pós-operatório.

Dependerá também de um evento muito comum que é a diferença de tamanho e da distribuição do tecido mamário entre as duas mamas antes da cirurgia. Quase sempre um dos seios é um pouco maior que o outro e um pouco mais pendente. Quanto maior for a diferença entre eles maior será a diferença das cicatrizes e maior será a dificuldade da cirurgia plástica, pois sempre procuramos deixá-las o mais parecidas possível.

Em relação à idade, existem adolescentes com mamas muito grandes, mas precisamos aguardar que suas funções hormonais estejam equilibradas antes de submetê-las à redução das mamas. Uma regra geral é aguardar pelo menos 4 anos após o início da menstruação, desde que já estejam apresentando ciclos regulares, mas sempre pedimos a avaliação de seu ginecologista.

Um fato importante é que a cirurgia não impede a amamentação, mas as mamas poderão sofrer mudanças de forma dependendo da glândula mamária voltar ao seu tamanho anterior, continuar aumentada ou até reduzir de tamanho após o aleitamento. Além disso, a chance de haver mudança da forma mamária será maior se houver grande variação do peso da paciente, pois há mulheres que ganham bem mais que os 9 a 12 kg esperados, chegando a ganhar mais de 20 kg.

As mulheres jovens apresentam mamas cujo tecido é mais firme, pois apresentam mais tecido glandular. Com a idade esse tecido vai sendo substituído por gordura e assim, as pacientes com mais idade apresentam mamas que são mais macias à palpação e que tendem a ser mais flácidas. Quanto mais gordurosas forem as mamas, mais suscetíveis a perderem o bom resultado cirúrgico se a paciente apresentar variações de peso importantes.

No pré-operatório, além dos exames que são pedidos para qualquer cirurgia, sempre pedimos avaliação do ginecologista, para termos segurança de que a paciente não apresenta patologias que necessitem tratamento específico, como nódulos, cistos e até descartar presença de tumores malignos.

Os cuidados pós-operatórios incluem restrição da movimentação ampla dos braços por pelo menos 15 dias, evitar dirigir por 30 dias, aguardar 60 dias para exercícios vigorosos, utilizar sutiã apropriado por 6 meses até que o edema (inchaço) regrida totalmente e verifique-se se há necessidade de algum retoque.

Mulher, mais atenção para as doenças da mama !

Posted in doença, mulher with tags , , , , , , , , , , on junho 22, 2008 by dr.lichtenstein

Atenção às doenças da mama

Muito tem se falado sobre as doenças da mama, com enfoque principalmente sobre o câncer. Hoje ocorre uma “cancerofobia” , ou seja, um medo intenso do câncer, que faz as mulheres erroneamente pensarem que qualquer nodulação ou dor pode ser o sintoma de um câncer.

O objetivo deste artigo é acalmar, no bom sentido, essa cancerofobia, através do conhecimento das mamas, suas alterações normais e ensinar a reconhecer os sintomas de prováveis doenças.

É um pequeno guia com as alterações mais comuns, lembrando que existe ainda vária entidades não descritas neste artigo.

Quanto ao câncer será enfocado separadamente.

O desenvolvimento: A mama é formada por glândulas e em sua grande parte por tecido gorduroso. Na criança é formada por ductos e tecido conjuntivo, aumentando na puberdade devido ao aumento de hormônios, completando o seu total desenvolvimento em torno de 04 anos.

Após a puberdade, na idade adulta, a quantidade de tecido gorduroso aumenta juntamente com o desenvolvimento dos glândulas. Na menopausa ocorre atrofia, levando à flacidez, restando quase exclusivamente tecido gorduroso.

Alterações na criança: Antes da menina menstruar já se inicia o desenvolvimento das mamas, com o aparecimento do chamado broto mamário. Pode ser acompanhado ou não de vermelhidão, inchaço e dor no local, tendendo a desaparecer estes sintomas em poucos dias não devendo portanto ser motivo de grandes preocupações. Raramente o desenvolvimento das mamas é feito de maneira simétrica, podendo ficar uma mama maior que a outra. Quando essa assimetria é muito acentuada e provoca desconforto deve-se avaliar a necessidade de cirurgia corretiva.

Afecção Funcional Benigna das Mamas (AFBM): Antigamente conhecida como Displasia Mamária, hoje é aceita como uma resposta normal da mama às alterações hormonais cíclicas que ocorrem na mulher. Não se tem uma causa definida, acreditando-se que possa ser multifatorial. Os sintomas são variados, podendo se manifestar como dor, entumescimento e percepção de vários caroços dolorosos. A maioria da sintomatologia desaparece após a menstruação. O diagnóstico é basicamente clínico, ou seja, feito pelo médico, sem a necessidade obrigatória de exames complementares.

É mais comum em mulheres jovens, com poucos ou nenhum filho. O principal do tratamento deste caso é o esclarecimento à mulher sobre a doença, seus fatores determinantes e sua evolução benigna. Existe o tratamento medicamentoso e o não medicamentoso.

Ectasia Ductal: É muito comum após os 40 anos, sendo caracterizada por secreção mamilar e dor, sendo que na maioria das vezes essa secreção é escurecida. É uma das doenças que mais simula o câncer. Não se sabe a causa, mas sabe-se que ocorre uma inflamação nos ductos mamários. O diagnóstico é feito clinicamente e com ajuda de exames complementares.

Mastites: É a inflamação das mamas, ocorrendo principalmente durante a fase de amamentação. Em todos os casos é acompanhada de muita dor, vermelhidão, sensação de endurecimento e tumor no local. Pode ocorrer febre. O tratamento é medicamentoso e em casos extremos é realizada drenagem.

Dor Mamária: Apesar de não ser uma doença, vale a pena ser colocado devido à sua alta incidência. É causada principalmente por variações hormonais (excetuando-se as outras patologias) e em estudo não comprovado ainda por dieta inadequada. O diagnóstico é subjetivo e clínico e o tratamento é individualizado de acordo com o caso.

O mundo maravilhoso das ervas naturais para a próstata

Posted in dica, doença with tags , , , , , , , on junho 7, 2008 by dr.lichtenstein

Previna-se do câncer de prósata

A próstata é uma pequena glândula em forma de anel que se encontra envolta da uretra do homem.

Nos homens com idade acima dos 40 anos esta glândula pode aumentar de tamanho e perder a eficácia, provocando dores, dificuldade para urinar e incômodo.

A hipertrofia da próstata quando não tratada pode se transformar em câncer.

Existem vários remédios naturais capazes de ajudar no combate dos problemas da próstata. Veja alguns exemplos abaixo:

1- tomar todos os dias em jejum, um suco batido no liqüidificador, com um copo de água, um limão inteiro com a casca e um ramo de salsinha;

2- a erva de “Saw Palmetto” é muito efetiva para controlar a hipertrofia da próstata. Os índios há centenas de anos possuem este conhecimento;

3-
o chá das sementes de abóbora feitas com decocção, também são um bom remédio, possuem alto teor de zinco;

4- o pólen das abelhas contém abundantes vitaminas, minerais e certos hormônios de efeito estimulante sobre os órgãos sexuais masculinos;

5- as folhas de couve também podem ser eficientes para ajudar no tratamento da próstata. Devem ser usadas como emplasto;

6- o leite de côco também é um remédio natural e nutritivo, que ajuda a combater esta doença.

7- as infusões feitas com cabelo de milho e cavalinha também são boas para combater a prostatite. Devem ser tomas duas vezes ao dia.